Quantificação de endotoxina por ensaio turbidimétrico cinético em microplacas

ID Artigo

ID Artigo HE237

Data da Publicação

Data da Publicação 10/30/2020
Imprimir
Pergunta ou Título
Quantificação de endotoxina por ensaio turbidimétrico cinético em microplacas
Resposta

O monitoramento de contaminantes é uma etapa crítica durante o processo de produção nas indústrias farmacêuticas e de dispositivos médicos. Um contaminante frequente, a endotoxina, pode causar febre, inflamação, dor de cabeça, náuseas e até a morte. Encontrada na parede celular de bactérias gram-negativas, a endotoxina tem sido rotineiramente detectada usando o ensaio sensível e específico Limulus amebocyte lysate (LAL). O teste LAL é reconhecido pela farmacopeia americana (U.S. Pharmacopeia, USP) para determinar os níveis de endotoxina em muitos medicamentos e produtos de dispositivos médicos. Na presença de endotoxinas, LAL, obtidas do caranguejo ferradura Limulus polyphemus, coagula por meio de uma cascata mediada por enzima, que pode ser quantificada por meio de testes de coágulo de gel, turbidimétricos ou colorimétricos.

O ensaio PYROGENT™-5000 Kinetic Turbidimetric LAL da Lonza é um ensaio cinético no qual a coagulação LAL é monitorada como um aumento na turbidez ao longo do tempo, que pode ser medido cineticamente em uma leitora de microplaca de absorbância. Quanto mais endotoxina estiver inicialmente presente, menor será o tempo de início (também conhecido como tempo de reação), o tempo necessário para a absorbância de uma amostra aumentar uma quantidade especificada acima de seu valor inicial. Uma curva padrão de tempo de início versus concentração padrão é executada para calcular a quantidade de endotoxina presente em uma amostra. O ensaio pode ser usado para detectar níveis de endotoxina de 0,001 a 10 unidades (EU)/mL.

https://www.moleculardevices.com/en/assets/app-note/br/monitor-for-endotoxin-with-spectramax-abs-plus-microplate-reader