Como trocar os liners em cromatografia gasosa?

ID Artigo

ID Artigo HE106

Data da Publicação

Data da Publicação 06/03/2020
Imprimir
Pergunta ou Título
Como trocar os liners em cromatografia gasosa?
Resposta
Você já considerou quanto tempo seu laboratório gasta trocando as colunas? E quanto isso custa em termos de perda de receita?
Os liners do injetor são conexões críticas na trajetória de fluxo. A interação da amostra com locais ativos no liner e na lã de vidro pode resultar em acúmulo, impactando a transferência de compostos para a coluna. Por esse motivo, esse é o componente trocado com mais frequência em um GC.
Problemas causados pela contaminação do Liner:
 - Picos fantasmas ou carryover
 - Ruído excessivo na linha de base
 - Distúrbios ou instabilidade na linha de base
 - Mudança no tamanho do pico
 
Agilent Ultra Inert Liners
A escolha do liner correto pode ajudar a maximizar a inércia da trajetória de fluxo.
A inércia é crítica dentro da porta de injeção aquecida, onde analitos lábeis são propensos a adsorção ou degradação.
O processo de fabricação da Agilent produz um revestimento de entrada ultra-inerte. Isso garante uma cobertura de desativação maior garantindo reprodutibilidade, confiabilidade e mais precisão na transferência da amostra para a coluna GC.
- Lã de vidro altamente inerte e compatível com amostras contendo compostos ativos.
- camisas de lã inerte mantêm os não-voláteis dentro da entrada, prolongando a vida útil da coluna e diminuindo o nº de manutenções.
- Maior sensibilidade;
- Aumento da produtividade;
- Fornecem baixa atividade superficial e alta e reprodutível vaporização de amostra.
Lembre-se também de que temos Liners de CG Agilent CrossLab Ultra Inert.
Anexo